wcrf-reportEm 2007 foi publicado a segunda edição do mais extenso e completo relatório sobre prevenção do cancro

. Realizado pela World Cancer Research Fund e o American Institute for Cancer Research, o relatório reúne um painel de especialistas que analisam todos os estudos científicos publicados até à data, daí resultando um conjunto de recomendações que, caso fossem seguidas, poderiam diminuir 30 a 40% de todos os casos de cancro.

Recommendations

Desde então que têm sido realizados vários estudos para avaliar o real impacto destas recomendações na prevenção de cancros, recidivas, outras doenças crónicas e na sobrevivência após um diagnóstico. Quase todos os estudos mais recentes confirmam a importância da adesão às recomendações da AICR/WCRF para a prevenção de cancros e aumento de sobrevida:

blackbutterfliesCancro da mama:

  • Mulheres em pós-menopausa que seguiram pelo menos 5 das recomendações diminuiram 60% o risco de virem a ter cancro da mama, quando comparadas com aquelas que não seguiram nenhuma. As recomendações mais associadas a essa redução foram: ingerir muitos frutos, vegetais e cereais integrais, manter um peso saudável e não ingerir mais do que uma bebida alcoólica por dia .
  • Um estudo que inclui 49613 mulheres seguidas ao longo de cerca de 16 anos conclui que seguir 6 a 7 recomendações está associado a uma diminuição de 31% no risco de cancro da mama. Por cada recomendação seguida existe uma diminuição de 4-6% nesse risco .

Cancro da próstata:

  • Homens que seguiram pelo menos 4 de 7 recomendações tiveram uma redução de 38% no risco de cancro da próstata agressivo. Foram seguidos mais de 2000 homens recentemente diagnosticados com cancro da próstata. Por cada recomendação seguida o risco de cancro da próstata agressivo diminui cerca de 13%. As recomendações que contribuiram mais significativamente para esta diminuição foram: limitar o consumo de carnes vermelhas e evitar alimentos hipercalóricos .

tcc_art_fiber_2Cancro colorretal:

  • Um estudo europeu (EPIC) que inclui 3292 participantes concluiu que aqueles que, anos antes do diagnóstico, seguiram mais recomendações tinham 30% menos probabilidades de morrer de cancro colorretal, quando comparados com aqueles que seguiram menos recomendações. Por cada recomendação seguida foi observada uma diminuição de 10% no risco de morte. As recomendações que contribuiram mais significativamente para a diminuição do risco de morte foram: ingerir grandes quantidades de alimentos vegetais e manter um peso saudável .

oldwomanMortalidade/Sobrevivência:

  • Durante mais de 7 anos, 57841 homens e mulheres livres de cancro foram seguidas. A mortalidade foi 61% inferior naqueles que seguiram pelo menos 5 recomendações, comparados com aqueles que não seguiram nenhuma. A mortalidade diminui 10% em média com cada recomendação. A recomendação relacionada com o consumo de vegetais foi a mais fortemente associada com uma diminuição do risco de mortalidade devido ao cancro .
  • Um estudo de grandes dimensões incluindo quase 400000 participantes concluiu que aqueles que seguiram pelo menos sete recomendações tiveram uma diminuição de 34% no risco de morrer de várias doenças ao longo de 12 anos, quando comparados com aqueles que não seguiram nenhuma recomendação .
  • Ao serem seguidas cerca de 2000 mulheres diagnosticadas com cancro durante uma média de 5 anos, um estudo concluiu que aquelas que seguiram pelo menos seis recomendações, tiveram uma redução de 33% no risco de morte durante esses anos, quando comparadas com mulheres que seguiram quatro ou menos recomendações .

yoga_tree-and-wisdomQualidade de vida:

  • Um estudo que incluiu cerca de 2000 mulheres diagnosticadas com cancro concluiu que aquelas que mais aderiram às recomendações da AICR/WCRF mostraram melhor funcionalidade física e saúde mental, quando comparadas com aquelas que menos seguiram as recomendações. A recomendação mais significativa foi a atividade física diária .

4f75a72cc46b4564d828ac8e70593079Cancro infantil:

  • Um estudo que inclui mais de 1500 adultos sobreviventes de cancro infantil, concluiu aqueles que seguiram três ou menos recomendações da AICR/WCRF tinham cerca de 2 vezes mais probabilidades de desenvolverem síndrome metabólica, uma constelação de fatores de risco associados a doença cardiovascular, diabetes e outros problemas de saúde. Esse risco foi observado mesmo décadas depois do diagnóstico de cancro .

Referências:

2017-10-24T16:43:10+00:00 0 Comments

Leave A Comment

five × 2 =